• Aline Amaro da Silva

Retrospectiva 2019: celebrar o que passou, viver o agora e construir os alicerces de 2020



Final de ano precisamos dar uma parada, fazer memória de tudo o que aconteceu conosco e ao nosso redor, colocar na balança de um lado o que nos fez crescer, as mudanças, realizações, resultados, e de outro o que nos fez cair, decepções, medos e estagnações. Também é importante rever nossas prioridades, diagnosticar aquilo que é essencial, o que devemos dar continuidade, renovar e inovar, para começar 2020 bem focado e com objetivos traçados. Vou partilhar com vocês como vivi este ano que está se concluindo, pontuando três aspectos: humano, profissional e espiritual.


2019 foi um ano totalmente atípico na minha vida, estive na primeira metade do ano fora do Brasil, fazendo pesquisa de doutorado na Alemanha. Estive por lá desde agosto de 2018, e me acostumei com a dinâmica da vida acadêmica alemã. Este foi um período de muitas viagens também, nunca havia visitado tantas nações e ainda num curto espaço de tempo. Ao total, foram cerca de 12 países pelos quais passei: Alemanha, Holanda, Inglaterra, Hungria, Polônia, Croácia, Áustria, Eslovênia, Canadá, Estados Unidos, Costa Rica e Panamá. Acredito que a cada lugar que vamos permanece em nós um pouco daquela experiência e cultura e também deixamos um pouco de nós mesmos naquele ambiente e povo.


Ressaltando o aspecto humano, todos os novos aprendizados, as pessoas que conheci e fiz amizade, as descobertas até burocráticas de como abrir conta em banco no exterior, fazer vistos, formas de compra de passagens e etc; o desenvolvimento de habilidades como a fluência na língua inglesa e o aprendizado da língua e cultura alemãs; aprender na prática a se virar em qualquer situação e saber que tendo internet, Google, boca para perguntar e pedir ajuda, você pode ir para qualquer lugar do planeta; perceber que o ser humano é ser humano em qualquer ambiente, que apesar das diferenças culturais toda pessoa tem as mesmas necessidades e anseios por amizade, família, trabalho, sustento, descanso, celebrar, comunhão. Essas são experiências que nos transformam, rompem nossos medos, orgulhos e preconceitos, fazem reconhecer que necessitamos dos outros, nos fazem crescer e sermos pessoas melhores.


Para começar, meu primeiro dia do ano estive visitando Paris. (PS: Não vão em Paris no Reveillón, você fica esperando no frio e na chuva o “show da virada” no Arco do Triunfo que consiste em um show de luzes de uns vinte minutos, a contagem regressiva, e um show de fogos de uns cinco minutos, não pode entrar no perímetro com bebida alcoólica, ou seja, não tem brinde com champagne, e depois volta todo mundo para casa, e por causa disso, fecham os metrôs por excesso de gente. Além disso, vários lugares estão fechados no dia 1º, como o Museu do Louvre. Então, não é a melhor época do ano, mas Paris é linda de qualquer jeito!).


Neste ano, tive duas viagens que posso chamar de peregrinações. Meu janeiro foi bem marcado pela experiência da Jornada Mundial da Juventude no Panamá, antecedido pela Semana Missionária na Costa Rica. Como contei em outro artigo, foi uma Jornada com muitas alegrias, surpresas, mas também com muitas tribulações e despojamentos. Participei da JMJ com a Comunidade Shalom, que foi como minha família espiritual todo esse tempo na Alemanha, nessa retrospectiva não posso deixar de agradecê-los pelo seu apoio e amizade espiritual. Outra viagem que se tornou como uma peregrinação, um retiro, foi para a Polônia, visitando a polaca gaúcha Camila Zarembski. Participamos na procissão de Corpus Christi em Cracóvia, refletimos sobre o sofrimento e miséria humana em Auschwitz na sexta-feira, visitamos o Santuário da Misericórdia e de João Paulo II, no sábado, além de celebrar a chegada do Verão às margens do Rio Vístula com direito a show de fogos de artifício, e concluímos no domingo com a visita à cidade natal de São João Paulo II, Wadowice. O melhor de tudo foi a partilha das histórias de vida e a oração em comum que fortaleceu nossa amizade. Com isso eu destaco a dimensão espiritual da vida, a importância de vivermos nossa fé pessoalmente e comunitariamente, nos alimentarmos diariamente do Pão da Palavra e do Pão Eucarístico, é importante termos amigos de diversão, mas é fundamental termos amigos de caminhada na fé.


Na minha vida profissional e acadêmica tenho que agradecer todo o apoio e direcionamento na pesquisa da tese que o Prof. Bernhard Grümme me deu neste tempo em Bochum, todas as portas que abriu e as pessoas que ele me apresentou, contatos que deram muitos frutos e alguns se tornaram amigos. Destaco a minha participação no encontro do grupo de pesquisa de Teologia Comunicativa ocorrido em março, em Innsbruck, Áustria, onde pude vivenciar este processo comunicativo de teologizar que eu estou pesquisando e me tornei parte do grupo. Lançado em abril de 2019, a publicação de meu primeiro artigo em inglês em uma obra conjunta com o Prof. Grümme e outros colegas alemães e croatas foi um belo resultado da pesquisa realizada no continente europeu. Também ressalto a experiência no Encontro da AGENDA, Fórum das teólogas católicas alemãs, realizado em Stuttgart, em maio de 2019. Fruto dessas interações será a minha participação no Congresso de Teologia Comunicativa que ocorrerá em Graz em março de 2020, e também trouxe a ideia de organizar o Seminário Mulheres no Cristianismo a ser realizado em abril de 2020 na PUCRS.


Ainda na Ruhr Universität Bochum realizei o Workshop “Cybertheology: theology in times of the internet”, final de junho. Obrigada Lukas Brandt pelo convite, organização e divulgação. Em julho, pouco antes do meu retorno ao Brasil, estive pela primeira vez no Estados Unidos participando com apresentação de trabalho e futura publicação de artigo do THEOCOM 2019, seminário que reflete anualmente temas relacionados a Teologia e Comunicação Digital. O artigo que apresentei foi “Catechesis in the Digital Age: from transmission to sharing”, em breve vou concluir um livro inteiro sobre este tema, aguardem. O THEOCOM é um encontro qualitativo com pesquisadores especialistas do mundo todo, um grupo pequeno que proporciona um grande aprofundamento e troca de conhecimentos. Obrigada Paul Soukup SJ pelo convite e oportunidade.


De volta ao Brasil, pude ajudar na realização do II Congresso Internacional de Teologia da PUCRS sobre “Santidade e Responsabilidade Pública” organizado pelo PPG de Teologia ao qual faço parte. E para fechar o ano com chave de ouro participei do Simpósio Soter Sul 2019 neste mês de dezembro em Florianópolis. Eu brinco que esses dias de encontro são as “férias dos teólogos”. Apesar do ambiente descontraído e informal com momentos para aproveitar a praia, é sempre riquíssimo em reflexões, comentários e diálogos. Nesta edição, o Prof. Agenor Brighenti da PUCPR nos brindou com as impressões e recepções do Sínodo da Amazônia, um riquíssimo debate. Apresentei parte da minha pesquisa na Alemanha sob o título “O dom “Nós” no “Globo” multicultural: a contribuição da Teologia Comunicativa para a comunhão e o diálogo inter-religioso” e teve bastante repercussão com questões e comentários relevantes.


O estudo teológico no Brasil para uma mulher leiga geralmente é encarado como uma formação para aprofundamento pessoal ou aperfeiçoamento da ação pastoral voluntária. Na Alemanha, entretanto, diversos ramos profissionais remunerados surgem do campo teológico: agente de pastoral, pesquisador científico, catequista, professor universitário ou de ensino religioso, etc. Mesmo o profissional de comunicação é muito mais valorizado. Nesse período de vida acadêmica alemã, percebi que não deveria encarar o meu percurso de reflexão e prática comunicativa-teológica apenas como um chamado de Deus para um aprofundamento nessa temática, mas como uma missão, um encargo a mim confiado, uma carreira a ser construída, reconhecendo a minha vocação de teóloga e comunicadora profissional. Desejo levar muito a sério este caminho que Deus abriu na minha vida. Retomo também o propósito de compartilhar saberes sobre Teologia, Comunicação, Tecnologia e Cultura Digital através desse site.


2019 foi um ano de inúmeros acontecimentos, de perdas e ganhos, mortes e nascimentos. Tudo isso nos afeta e vai moldando nossa vida. É importante olhar e perceber o que de importante ficou descuidado, o que devemos retomar. Algo essencial que deve sempre ser renovado é nosso relacionamento com Deus através da escuta, meditação e oração diárias. É este o fio que nos conduz à direção certa, ao discernimento de nossos planos e escolhas, que nos dá o equilíbrio entre o ser, o ter e o fazer, entre os valores pessoais, familiares, comunitários e sociais.


Agradeço a todos os amigos que encontrei pelo caminho, que me acompanharam e me fortaleceram neste ano de 2019. Agradeço também a minha família que sempre apoia meus projetos e aventuras. Que venha 2020 com energia renovada, com suas surpresas, projetos e desafios. Estejamos firmes e preparados para o Novo de Deus! Feliz Ano Novo a todos e fiquem ligados que logo, logo temos novidades!

2 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo